Header Ads Widget

Ticker

6/recent/ticker-posts

Presidente da Federação deixa “Uma Mensagem de Esperança e de Resiliência” aos Bombeiros

 


"É uma injustiça, é certo, mas cá estaremos para dar a resposta real à necessidade da nossa população - que é a razão da nossa existência", referiu o presidente da Federação de Bombeiros do Distrito do Porto face ao facto da vacinação contra a COVID-19 abranger somente 50% do corpo ativo das corporações.


De acordo com o Governo, a campanha de vacinação contra a COVID-19 em 50% do corpo ativo das corporações de bombeiros portuguesas começa na próxima semana. Porém, para José Morais, presidente da Federação de Bombeiros do Distrito do Porto, essa estimativa "vale o que vale. Neste momento, tudo nos parece um processo de boas intenções, mas acho que os bombeiros neste momento já estão como São Tomé: é ver para crer", atirou o homem que é também comandante dos Bombeiros Voluntários de Paredes. 


Esta atitude dos bombeiros em geral tem que ver com a discordância em relação ao facto desta fase de vacinação abranger somente metade dos operacionais. José Morais explica porquê: “O que existe aqui é uma diferenciação daquilo que são estruturas do estado e daquilo que não o são, mas que prestam serviço para ele. A título de exemplo, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) é uma estrutura do Estado e os seus operacionais foram contemplados - e bem - logo na primeira fase de vacinação. No caso dos bombeiros que trabalham para o INEM, fazem 95 por cento do serviço de saúde no nosso país e, pura e simplesmente, esqueceram-se de nós!"


Face a este cenário, José Morais faz questão de deixar “uma mensagem de esperança e de resiliência” aos colegas de profissão: “É algo que temos conseguido ultrapassar desde março e vamos continuar a trabalhar da forma que tão bem sabemos fazer. Cuidamos dos nossos homens e mulheres, cuidamos das pessoas que temos por missão socorrer e não voltaremos a cara a nenhum esforço que seja necessário. Os bombeiros estão habituados a sofrer e a ultrapassar muitas dificuldades. Esta é mais uma!"


É uma injustiça, é certo, mas cá estaremos para dar a resposta real à necessidade da nossa população - que é a razão da nossa existência.


Através de Jornal A Verdade

Publicar um comentário

0 Comentários